terça-feira, 27 de setembro de 2016

Espanha - Cáceres


No Centro Histórico de Cáceres vê-se na Plaza Mayor: a Torre Bujaco, tendo ao seu lado Capela da Paz (esq.), a Torre de los Púlpitos (centro) e a Torre de la Yerba (dir.)

Cáceres situa-se na província de mesmo nome, na Comunidade Autônoma da Extremadura. Fundada pelos romanos no Século I a. C., Cáceres conheceu tempos de grande prosperidade, mas no Século V foi arrasada pelos visigodos, permanecendo esquecida até o Século IX. Na época dos mouros, estes construíram uma base militar contra os cristãos, mas a cidade somente foi retomada em 1229 pelo rei Afonso IX.


Na Plaza Mayor vários bares e restaurantes aguardam os visitantes

Na atualidade, o Centro Histórico faz parte do Patrimônio Histórico pela UNESCO. Comecemos pela Plaza Mayor. Lá encontramos a Torre Bujaco, a Torre de los Púlpitos (vistos na foto de capa), o Arco da Estrela, que era a porta principal da cidade desde o Século XV, e a Prefeitura.


A partir da Plaza Mayor, subimos uma escadaria para atravessarmos o Arco da Estrela

Detalhe do Arco da Estrela, com a Torre de los Púlpitos (dir.)

Na parte interna do Arco da Estrela, encontra-se abrigada uma imagem de Nossa Senhora da Estrela

Ao fundo, a Prefeitura de Cáceres

Digna de destaque é a Catedral de Santa Maria, no estilo gótico, cuja construção começou no Século XII, contemplando a arte mudéjar e com teto de madeira, sendo finalizada entre os Séculos XV e XVI. Ela é considerada uma Concatedral, pois está vinculada à Diocese de Coria-Cáceres, que engloba as duas Catedrais.


Detalhe da fachada da Catedral de Santa Maria de Cáceres

A Catedral de Santa Maria de Cáceres e sua Torre

O Palácio Episcopal, construído no estilo renascentista, pertence à Diocese de Coria-Cáceres

O Museu de Cáceres, localizado na Cidade Antiga, com coleções de Arqueologia, Etnografia e Belas Artes, ocupa dois edifícios históricos, que são a Casa de las Veletas e a Casa de los Caballos.


Pátio do Palácio de las Veletas no estilo renascentista

Tempo para almoçar na Taberna El Ríncón. No cardápio, um prato típico da Extremadura: Prueba de Cerdo con Patatas Fritas Caseras, acompanhado de cerveja artesanal

Gostosuras da Extremadura e da Espanha

Vinhos e azeites da melhor qualidade

A Torta del Casar, fabricada com queijo de ovelha, é um dos queijos mais renomados da região da Extremadura, sendo que a maior parte é fabricada em Cáceres

As cervejas artesanais são imperdíveis!


Espanha - Burgos


Burgos nos dá as boas-vindas!

Burgos é uma cidade do norte da Espanha, situada na província de mesmo nome, na Comunidade Autônoma de Castilla y León. Foi fundada a partir de uma fortaleza na margem direita do Rio Arlanzón, pelo conde Diego Rodrígues Porcelos no ano de 884. Burgos foi a capital do antigo Reino de Castilla, que depois foi transferida para a cidade de Toledo. Foi também sede do governo do militar e ditador Francisco Franco, antes de mudá-la para Madri.


Seguimos em direção ao Arco de Santa Maria, uma das antigas portas de acesso à cidade, após atravessar a ponte de Santa Maria, que se ergue sobre o Rio Arlanzón.


O Arco de Santa Maria em Burgos

O Rio Arlanzón atravessa a cidade de Burgos

O prédio religioso mais representativo de Burgos é a sua Catedral, concluída em 1260, no estilo gótico, cuja construção foi inspirada na Catedral de Reims, na França. A curiosidade é o chamado ‘papa-moscas’, um boneco, junto a um relógio, que a cada hora abre a boca e abaixa o braço que segura o badalo do sino. O nome ‘papa-moscas’ vem de um pássaro insetívoro, que deixa a boca aberta, para que os insetos entrem nela. Assim, o boneco, que abre e fecha a boca a cada hora, ganhou este apelido. É cobrado ingresso para visitar a Catedral.


A Catedral de Burgos no lado meridional

Detalhe da Catedral de Burgos

Fonte em frete à entrada da Catedral

Destaque para a Plaza Mayor, onde funcionaram os primeiros mercados de Burgos

As convidativas ruas para o lazer no Centro Histórico de Burgos

A cidade de Burgos está inserida na rota do Caminho de Santiago

O Instituto Cardenal López de Mendoza é um dos prédios renascentistas mais importantes da cidade

Um prédio interessante que valeu ser fotografado. Não foi possível identificá-lo...


Espanha - Bilbao


Visitando a cativante Bilbao – Ponte de la Salve e a escultura da aranha

Bilbao é a capital da Província de Biscaia, que se localiza na Comunidade Autônoma do País Basco, ao norte da Espanha. Fundada no Século XIV, embora anteriormente haja vestígios de habitantes primitivos, foi desde aquela época um importante centro comercial, exportando principalmente produtos como a lã e o ferro. No Século XIX, sofreu um grande processo de industrialização, destacando-se na exploração metalúrgica, que lhe proporcionou um notável desenvolvimento em termos urbanos. Com o decorrer do tempo, o setor de serviços passou a prevalecer na sua economia. A cidade se destaca social e culturalmente, sem esquecer que Bilbao é o centro econômico mais importante do País Basco.


A arquitetura moderna é um dos destaques de Bilbao

Ao longo do traçado da área metropolitana, estende-se a ria de Bilbao ou a ria do Rio Nervión, que é a desembocadura deste rio e o do Rio Ibaizábal, além de seus afluentes, até o Mar Cantábrico, no golfo de Biscaia (ou Vizcaya), que divide a cidade em duas partes: o Centro Histórico (ou Casco Viejo), chamado também de ‘7 ruas’, e o Ensanche, que seria a cidade nova.


Passeio ao longo do Rio Nérvion, que atravessa o centro da cidade

Vista parcial de Bilbao, com detalhe na sua rica vegetação

Esculturas surpreendem-nos a todo instante

Destaque para o Palácio Euskalduna, um centro de congressos e espetáculos de Bilbao, de arquitetura moderna e dinâmica. 


O Palácio Euskalduna

O Museu Guggenheim, às margens da ria de Bilbao, é um dos mais visitados da Europa. Ele projetou a cidade, turisticamente falando. O prédio possui um formato estranho, à primeira vista assemelha-se a um barco, mas projetam-se dele algumas ‘curvas complexas e torcidas’ que podem incitar diversas interpretações. Quanto ao acervo deste museu internamente bem mais convencional, compõe-se principalmente de obras do Século XX. Destaque para as esculturas em aço de Richard Serra.


O prédio do Museu Guggenheim com a sua arquitetura inusitada

A Ponte de la Salve, projetada pelo engenheiro Juan Batanero, atravessa o Rio Nervión

Puppy é uma escultura do artista Jeff Koons representando um cachorro da raça West Highland White Terrier. Compõe-se de uma figura em aço coberta com plantas naturais, que são trocadas à medida que deixam de florir. Situa-se nas proximidades da entrada do Museu Guggenheim

Mamá (mamãe) é o nome da escultura em forma de aranha da artista Louise Bourgeois, com 10 m de altura e que pensa 22 toneladas. O material usado foi bronze, inox e mármore. Faz parte do acervo permanente do Museu Guggenheim

A Grande Árvore e o Olho é uma instalação permanente do Museu Guggenheim, concebida pelo artista Anish Kapoor

A fachada sul do Museu Guggenheim com o espelho d’água, destacando-se na parte externa o colorido da escultura Tulipas de Jeff Koons

O Museu de Bellas Artes de Bilbao é um dos mais importantes do país

Fantástica mesmo é a ponte Zubizuri (Ponte Branca), também chamada de ponte de Calatrava, que se projeta sobre a Ria de Bilbao, ligando o Campo de Voltantin, na margem direita, à Ensanche, na margem esquerda. É uma obra do arquiteto valenciano Santiago Calatrava. O pavimento da ponte, por onde caminham os pedestres, é feito de placas de cristal e tem a fama de ser escorregadia...


A elegante Ponte Zubizuri de Bilbao

A Estação de Metrô de concepção futurista

O novo Estádio San Mamés

Vinhos do País Basco! Como esquecê-los?


sábado, 17 de setembro de 2016

Portugal - Vilamoura


Vilamoura, a cidade resort

Na região central de Algarve, Vilamoura é nada menos que o maior complexo turístico de luxo da Europa. A cidade resort pertence à freguesia de Quarteira. Seu fundador foi o empresário e banqueiro Cupertino de Miranda, que iniciou o projeto na década de 1960. Passando por diversos proprietários, hoje pertence a uma empresa americana, que adquiriu os ativos imobiliários e a concessão da marina.


Vilamoura é uma ótima opção para passar as férias no verão português

O complexo inclui, além de lindas residências, hotéis de luxo, cassinos, clubes, campos de golfe e uma marina espetacular, que arrebatou o título Cinco Âncoras de Ouro (versão 5 estrelas para marinas), além de praias sempre muito concorridas. Vilamoura é dotada de toda a infraestrutura necessária para o estabelecimento de uma cidade, sendo administrada com competência e compromisso ambiental.


Fê na marina de Vilamoura

Vindas de Lagos, na direção central do Algarve, chegamos até Vilamoura. O nosso passeio pela cidade finalizou na linda marina iluminada pelo sol do verão português.


Uma vila romana na Estação Arqueológica do Cerro da Vila

Na Estação Arqueológica do Cerro da Vila, aproveitamos para podemos conhecer uma vila romana construída entre os Séculos 27 a. C. e 14 d. C. Vilamoura foi ocupada no passado por romanos, visigodos e árabes.


Ao longo do percurso da vila romana, encontramos tabuletas explicativas. Na estação encontramos também um museu com objetos em cerâmica e mosaicos


Portugal - Vila Viçosa


No Terreiro do Paço situam-se o Paço Ducal e a estátua equestre de D. João IV

Vila Viçosa localiza-se no Distrito de Évora, na região central do Alentejo. A história desta cidade remete aos domínios romano e muçulmano, sendo estes últimos derrotados pelo reino de Portugal em 1217. Vila Viçosa foi sede da Casa de Bragança, uma importante família nobre, que teve seu início no Século XV. O 8º Duque de Bragança, D. João IV, foi aclamado Rei de Portugal.


O Paço Ducal (paço é sinônimo de palácio ou habitação da realeza) situa-se no Terreiro do Paço, tendo sido no passado a sede da Casa de Bragança. A construção do primitivo Castelo de Viçosa, uma construção medieval localizado na freguesia da Conceição, teve início em 1270, a mando de D. Afonso III, sendo finalizada por seu filho e sucessor, D. Diniz.


Passagem que leva ao interior das muralhas medievais do antigo castelo

Na área interna foi construída a Igreja Matriz, que se tornou o Santuário de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa, padroeira de Portugal

O interior do Santuário

Na antiga praça, junto ao castelo, encontra-se o Pelourinho, com 8 metros de altura, construído em 1512 no estilo manuelino

Foi D. Fernando, o 2º Duque de Bragança, quem construiu no castelo um Paço, após tê-lo recebido por herança de seu avô. Depois que o filho deste, de mesmo nome, o 3º Duque de Bragança foi executado, a família abandonou Vila Viçosa e se exilou em Castela. Quando esta retornou, não quis voltar ao antigo Paço, e mandou construir um novo em 1501. Desde então, o novo palácio recebeu diversas melhorias com o decorrer dos anos. Pelo fato de o Duque de Bragança ser eleito Rei, o palácio se transformou em casa de férias dos reis da Dinastia de Bragança, perdendo de certa forma o prestígio que possuía. Ao final da monarquia, pela disposição testamentária do último rei de Portugal, D. Manuel II, os bens da Casa de Bragança passaram a integrar uma fundação, que transformou o prédio num museu, recebendo também do monarca o seu valioso acervo de obras de arte e uma imponente biblioteca.


A Igreja dos Agostinhos, no estilo barroco, junto ao Convento

Em frente ao Paço Ducal, encontra-se o Convento e a Igreja dos Agostinhos, cuja construção ocorreu no reinado de D. Afonso III em 1267. Trata-se do primeiro convento instituído em Vila Viçosa. No interior da igreja, encontra-se o túmulo de D. Afonso, o primeiro Duque de Bragança.


Esta construção, na continuidade de uma das casas desta avenida, deve ter sido uma antiga capela, que foi devidamente preservada pelo proprietário

A extração e a transformação do mármore são atividades de grande importância econômica para Vila Viçosa, sendo esta conhecida como a Capital do Mármore. A pedra é conhecida como Mármore de Estremoz, um tipo de mármore extraído na região do Alentejo, especialmente em Vila Viçosa, embora o nome se origine da cidade de Estremoz. O mármore de coloração amarelada foi incorporado ao Império Romano em seus monumentos e esculturas. O nosso guia nos revelou que os romanos cobriam com cera as estátuas, como forma de ocultar as imperfeições do mármore.


A extração de mármore em Vila Viçosa

Uma ilustre filha da cidade é a poetisa Florbela Espanca, nascida em Vila Viçosa em 08/12/1894. Ela viveu apenas 36 anos, a maior parte deles de forma intensa, mas também cheia de sofrimentos e inquietações. Florbela viveu nesta cidade até o ano de 1908. Depois, residiu em Évora, Porto e Lisboa, falecendo em Matosinhos em 08/12/1930. Anos mais tarde, Florbela foi trasladada para o Cemitério de Vila Viçosa, que tive a oportunidade de conhecer.


Florbela Espanca (Fonte: Wikipedia)

Lápide do túmulo de Florbela Espanca, no cemitério junto à Igreja Matriz

A casa onde nasceu Florbela Espanca, a qual foi demolida na década de 1940, situava-se na confluência da antiga Rua André Angerino com a Rua Luisa Soeiro Cravo. Neste local, no ano de 2013, foi inaugurado o Memorial da Casa onde Florbela havia nascido, sob a forma de um pórtico em mármore negro, invocando a porta principal da casa ancestral. Segundo uma moradora, a outra casa em que ela viveu, situada no nº 59 da Rua Florbela Espanca, está em péssimo estado. Há um litígio entre os proprietários que estão impossibilitando a sua aquisição pela Prefeitura.


O Memorial da casa onde nasceu Florbela Espanca

Placa que fornece informações sobre o Memorial